Guia de Organização

Um ativista experiente pelo desinvestimento e um marinheiro de primeira viagem vão encontrar neste guia simples os primeiros passos para começar uma ação!

Talvez nem todas as recomendações se apliquem a você, mas aqui estão listadas ideias que vão ajudar você a planejar uma ação criativa, envolvente e poderosa para fazer com que os combustíveis fósseis sejam parte do passado em sua comunidade ou cidade!

1. Reúna um time de organizadores

Kathmandu, Nepal. Photo: Sanot Adhikari

Kathmandu, Nepal. Foto: Sanot Adhikari

Reúna uma equipe de pessoas com características e experiência necessárias para a sua ação. Lembre-se de envolver organizações parceiras que serão parte deste time ou aliados táticos com quem você poderá compartilhar ideias e informações.

2. Convide pessoas a se unirem a você

Madison, USA. Photo: Joe Brusky/Overpass Light Brigade

Madison, USA. Foto: Joe Brusky/Overpass Light Brigade

Convide seus amigos, vizinhos e organizações locais a auxiliarem no patrocínio e na organização, além de participarem da ação. Vá a igrejas, mesquitas, sinagogas, sindicatos, clubes esportivos, universidades ou cooperativas artísticas que possam estar interessadas em se envolver com a causa. Envie a eles o link da página de seu evento, assim eles podem se inscrever e divulgá-lo.

3. Planeje com a sua equipe

Port Vila, Vanuatu. Photo: Fenton Lutunatabua

Port Vila, Vanuatu. Foto: Fenton Lutunatabua

Decida que resultado você está buscando, qual é o seu alvo, o impacto esperado, a sua ação e a sua narrativa.

Grupos e campanhas se fortalecem quando comunicam com regularidade o porquê de estarem engajados no trabalho. A comunicação sobre as mudanças climáticas sofre muitas vezes por tratar de pessoas distantes e eventos que acontecem em lugares afastados ou são muito grandes: tudo isso aumenta a possibilidade de que a audiência se desconecte da história.

Como parte da Mobilização Global pelo Desinvestimento, pessoas de todo o mundo vão falar sobre como as mudanças climáticas impactaram algo importante para elas. A ideia é criar conexão entre as grandes tendências e os impactos das mudanças no clima, e fomentar a necessidade de desinvestir dos combustíveis fósseis.

 

1) Convide sua equipe para um encontro. Peça para que as pessoas se preparem pensando em três maneiras como as mudanças climáticas impactaram a vida delas ou algo ou alguém com quem se preocupam.

Por exemplo:

  • “O sítio de meus tios está ficando sem água devido à seca e eles não conseguem mais alimentar os animais ou regar as plantas.””
  • “A falta do frio no último inverno alterou o ciclo de nossas árvores frutíferas e tivemos apenas poucas e pequenas frutas.”
  • “A ocorrência de tempestades de grande magnitude – até então pouco frequentes – significa que o nosso sistema de abastecimento de água está contaminado e a infraestrutura de nossa cidade está sofrendo.” “As autoridades locais não têm recursos para solucionar o problema.”
  • “Os lindos e coloridos recifes de coral que visitei quando tinha 11 anos ficaram brancos é pouco provável que consigam se recuperar.”
  • Tivemos um grande aumento no preço dos alimentos devido à uma enchente que foi seguida por uma seca e depois por outra enchente. Precisamos agora importar a maior parte de nossa comida. Não podemos pagar por isso.

 

2) No começo do encontro, antes de discutir os impactos, identifique em grupo o resultado pretendido com a MGD. Todos precisam estar em acordo sobre quais são os objetivos da mobilização e quem é o alvo.

Para dicas sobre como identificar possíveis alvos, clique aqui.

 

3) Em seguida, peça para que as pessoas compartilhem as três maneiras como as mudanças climáticas impactaram a vida delas. Feito isso, cada um da equipe deve explicar as distinções entre os seguintes impactos climáticos:

“É útil pensar os impactos climáticos como parte de duas categorias: impactos de choque e impactos variáveis.

  • Shocks são momentos agudos de ruptura. Eventos climáticos extremos (furacões, ciclones, tufões, enchentes) e incêndios florestais são impactos de choque. Eles envolvem, em geral, momentos de grande comoção, que recebem muita atenção por parte da imprensa. Porém, tendem a ser momentos complicados para campanhas ou debates sobre as mudanças climáticas já que as necessidades das pessoas afetadas vêm em primeiro lugar.
  • Impactos variáveis aumentam gradualmente por natureza. Eles podem ser catastróficos, mas não são entendidos como impactos agudos. Secas, aumento do nível dos mares, morte dos recifes de coral, perda de glaciares e capas de gelo, declínio de ecossistemas, mudança de estações, desertificação e desmatamento são impactos contínuos. Geralmente, os impactos contínuos são mais fáceis de organizar porque operam no longo prazo e a intensidade emocional é menor..
  • Alguns impactos são sentidos tanto como contínuos, quanto como de choque. Por exemplo: estamos vivenciando o declínio de longo prazo dos recifes de coral devido ao aumento contínuo das temperaturas e da acidez dos oceanos. Mas isso é intensificado por eventos agudos que causam a perda repentina das cores e a morte do coral em larga escala (como aconteceu entre 2014 e 2016).

 

4) Com isso em mente, cole um grande pedaço de papel na parede com todos os impactos que as pessoas mencionaram e convide a todos para que façam uma marcação ao lado dos três impactos que, segundo elas, deveriam ser o foco do grupo. Veja quais impactos receberam mais marcações do grupo para ajudar a decidir qual deles será o foco na Mobilização Global pelo Desinvestimento (você pode optar por focar em diversos impactos).

 

5) Uma vez que tiver escolhido o impacto, decida: De que maneiras você pode mostrar como o impacto está relacionado ao seu alvo? Como você pode mostrar a conexão entre os dois elementos de uma mesma história?

  • Você pode levar o impacto até o seu alvo? Por exemplo, se uma geada prematura e inesperada prejudicou a produção de maçãs, você pode trazer caixotes de maçãs vazios até a porta de seu alvo? Ou os detritos de uma tempestade recente?
  • Você pode levar o seu alvo até o local do impacto? Por exemplo, se uma enchente destruiu uma ponte local, você pode colocar a logomarca de seu alvo nela com uma faixa dizendo “Destruição climática patrocinada por…”?
  • Será que a sua ação pode ir até o local do impacto ou alvo (ou vice-versa)? Por exemplo, você poderia organizar um passeio de bicicleta desde um reservatório local até o seu alvo? Você poderia ir de uma usina de carvão até o banco que a financia?
  • Qual é o prejuízo dos impactos causados pelos combustíveis fósseis para a sua comunidade? Por exemplo, se a sua comunidade enfrentou enchentes anormais, quanto custou para reparar os danos?
  • Dê uma olhada em outras ideias de ações para se inspirar com sugestões bem criativas.

Promova um brainstorm coletivo e então vote em grupo nas ideias favoritas.

 

6) Construa a sua narrativa:

Agora que você sabe em qual impacto vai focar, mostre como ele está conectado ao seu alvo e à narrativa geral.
É importante que o seu grupo consiga explicar com confiança a conexão entre:

  • o impacto local sobre o qual falam e como ele afeta a sua e a vida de outras pessoas.
  • mudanças climáticas (o grande panorama do qual os impactos fazem parte)
  • combustíveis fósseis (a causa dos problemas locais e globais)
  • Como desinvestir dos combustíveis fósseis é uma resposta necessária para os impactos locais e, de maneira mais ampla, às mudanças climáticas.

A sua narrativa pode ser tão simples quanto um ou dois parágrafos que expliquem a sua ação e os pontos acima. A partir dessa narrativa, identifique as suas principais mensagens.

 

Entendendo bem a ciência:

 

A ciência climática pode ser complexa e desconcertante. Nós recomendamos algumas formas para falar sobre como o impacto que você escolheu está conectado às mudanças climáticas:

    1. Relacione a seca, a escassez de água, os incêndios florestais e as ondas de calor ao aquecimento da temperatura na atmosfera: Uma das principais descobertas da ciência climática é que o aquecimento global aumenta a intensidade, a duração e a frequência das ondas de calor extremas. Mais CO2 na atmosfera significa o risco de extremos de calor mais frequentes.
    2. Associe o branqueamento de corais, a elevação do nível dos mares e o derretimento das regiões polares aos oceanos cada vez mais quentes: A maior parte da energia de calor que fica retida na nossa atmosfera acaba sendo absorvida pelos oceanos. O nível dos mares está aumentando porque a água se expande quando esquenta. O aquecimento dos oceanos está levando a eventos massivos de branqueamento de corais e contribuindo para o rápido derretimento das regiões polares.
    3. Associe enchentes e eventos climáticos extremos ao clima mais quente e úmido: Tempestades e chuvas intensas sempre aconteceram. Mas com o excesso de calor na atmosfera e nos oceanos devido aos gases do efeito estufa, as tempestades agora ocorrem com uma energia acumulada cada vez maior e com mais carga de umidade. Para cada grau (Cº) que aumenta a temperatura, a atmosfera acumula cerca de 7% a mais de vapor d’água. Somente nos últimos 25 anos, os satélites mediram um aumento de 4% na umidade atmosférica, que coincide com o rápido aquecimento da atmosfera.
    4. Relacione o desaparecimento dos glaciares, o aumento do nível dos mares e a perda dos ecossistemas do Ártico à tendência de derretimento do gelo: devido ao aquecimento dos oceanos e da atmosfera, o gelo da Terra está em declínio – dos glaciares ao Ártico e à Antártida. Isso está fazendo com que o nível dos mares suba, reduzindo a possibilidade da terra de refletir a energia de volta para o espaço. Tudo isso coloca em perigo ecossistemas únicos.
    5. Vincule a incidência cada vez maior de doenças transmitidas por insetos, a irregularidade das temporadas de plantio e a mutação das fronteiras dos ecossistemas à inconstância das estações do ano e das zonas climáticas: O aquecimento da atmosfera está mudando o período das estações do ano, a distribuição dos habitats e está empurrando zonas mais quentes na direção dos pólos.

Se você quiser saber mais, visite a página 350.org/pt/about/science e confira quais são os Sinais Climáticos

4. Logística

London, UK.

Londres, Reino Unido.

Organize todos os detalhes logísticos assim que possível, incluindo o horário da ação, indicações sobre como chegar ao local, transporte, banheiros, sistema de som, eventuais autorizações para o uso de local público e patrocínios, etc.

5. Divulgue

Johannesburg, South Africa. Photo: Shayne Robinson

Johannesburg, South Africa. Foto: Shayne Robinson

Faça um plano de divulgação. Estabeleça uma meta de quantas pessoas você gostaria de ter no seu evento e tente criar um plano sobre como chegar a um número bem maior. Assegure-se de registrar seu evento.

Convide organizações parceiras interessadas na sua ação e conecte-se a elas. Fale em escolas, grupos religiosos, encontros comunitários, espalhe cartazes pela cidade, envie e-mails para listas, faça um anúncio público na estação de rádio local, compartilhe nas mídias sociais, escreva artigos de opinião para jornais locais, coloque a sua ação no calendário da sua comunidade, peça a organizações que incluam informações sobre a sua ação nas suas newsletters e boletins.

6. Crie elementos visuais

Tacloban, Philippines.

Tacloban, Filipinas.

Uma imagem pode valer mais que mil palavras. Pense sobre como você pode explicar a sua narrativa em uma só palavra ou frase. Isso vai garantir que quem veja a sua ação, incluindo a imprensa, entenda exatamente o que você quer dizer.

    • Como você pode representar o impacto sobre o qual escolheu falar? Pense sobre mostrar o que não está lá (como neve, água ou plantações), assim como sobre o que está lá. Use aplicações em stencil representando impactos climáticos para produzir camisetas, cartazes ou faixas.
    • Como você pode representar o seu alvo? Você pode mudar a logomarca ou o slogan para mostrar os impactos que o alvo está causando em sua comunidade? Pense em dinossauros para representar os velhos e sujos combustíveis fósseis , que devem ser deixados no passado.
  • Você pode mostrar quem está sendo afetado? Como você pode representar de forma visual os setores mais afetados em sua comunidade? A história de uma única pessoa pode falar às vezes pela experiência de toda a comunidade. De quem é a história que você tenta contar?
  • Como você pode representar o mundo que gostaria de ver? Mostre as alternativas à infraestrutura dos combustíveis fósseis centrada na mão de grandes proprietários focando em fontes de energia renováveis, como turbinas eólicas e painéis solares, mantidas pelas comunidades..

Considere organizar um ou dois encontros para pintar cartazes e faixas antes de começar a ação. Convide voluntários para participar! Inclua isso em sua estratégia de mobilização e organização. Colocar a mão na massa é um ótimo modo de conhecer outras pessoas e construir uma comunidade! Você pode usar as ferramentas de organização de eventos para enviar um e-mail convidando as pessoas que se registraram para participar de sua ação e para que venham pintar os cartazes e faixas com você!

Banners and signs with the local equivalent of “Desinvista dos Impactos Climáticos” (coloque o nome da instituição que você está pedindo para que desinvista) pode ajudar a unificar as ações da Mobilização Global pelo Desinvestimento e mostrar que somos um grande e único movimento. Por fim, inclua a cor LARANJA. Essa é a cor que identifica o movimento Fossil Free.

7. Informe a imprensa

Oslo, Norway. Photo: Martin Reinholtz.

Oslo, Norway. Foto: Martin Reinholtz.

É importante entrar em contato com veículos da imprensa local, nacional e pública (estatal), para que eles façam matérias sobre as ações da MGD na sua área. Pense em quais jornais, rádios, tevês e websites você gostaria que cobrissem o seu evento e comece a entrar em contato com eles agora mesmo!

Confira nosso Guia de Mídia!

8. Entre em ação

Sydney, Australia. Photo: Abram Powell

Sydney, Australia. Foto: Abram Powell

Meses de planejamento culminam neste momento! Compartilhe suas fotos no Facebook e outras mídias sociais, como o Twitter e o Instagram, com as hashtags #divest e #fossilfree. Também envie estas fotos aos seus amigos e contatos na imprensa. Tenha um dia divertido e significativo, sabendo que você faz parte de um esforço global para pressionar por uma solução à crise climática. Procure usar produtos e materiais que sejam ecológicos para deixar a marca positiva de sua pegada.

E lembre-se: celebre com o seu grupo e planeje um encontro de encerramento para analisar os resultados da ação e programar os próximos passos.

9. Informe os resultados

Berlin, Germany. Photo: Ruben Neugebauer

Berlin, Germany. Foto: Ruben Neugebauer

Esta é uma parte importante: assim que a sua ação tiver terminado, selecione as melhores fotos, vídeos e histórias escritas sobre ela e envie-as. Isso vai permitir que as organizações coordenem o dia da ação para entregar a mensagem mais forte possível à mídia e aos governantes de todo o mundo.

FacebookTwitter